Quatro pontes usadas para acessar áreas que são de preservação permanente foram destruídas durante a Operação Amazônia, entre os dias 2 e 3 deste mês, em Colniza, a 1.050 km de Cuiabá. A cidade é número um no ranking das que mais desmatam em Mato Grosso.

Os caminhos clandestinos eram usados por criminosos para o desmate ilegal nas Unidades de Conservação Estação Ecológica do Rio Roosevelt, do Rio Madeirinha, e Parque Estadual Tucumã.

Também foram destruídos cinco acampamentos utilizados pelos infratores e um trator de pneu encontrado dentro do Parque Estadual Tucumã.

A ação foi realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), por meio da Coordenadoria de Fiscalização de Flora, em parceria com o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), e da Polícia Militar de Mato Grosso (PMMT).

O objetivo é impedir que infratores entrem na mata e continuem retirando madeira ou praticando outros crimes ambientais, mesmo após a intensificação de fiscalizações na localidade. A atividade exploratória no interior das Unidades de Conservação é fonte de enriquecimento ilícito para aqueles que fomentam e promovem o desmatamento ilegal em toda a região de Colniza.

As equipes não flagraram infratores, mas realizam levantamento para apurar possíveis responsáveis pelos crimes ambientais constatados no interior das Unidades de Conservação.

Operação Amazônia

A Operação Amazônia intensifica as ações de fiscalização de crimes ambientais com o reforço das forças de Segurança, o monitoramento em tempo real por satélite de todo o território de Mato Grosso, o embargo de áreas, a apreensão e remoção de maquinários flagrados em uso para o crime, e a responsabilização de infratores.

Integram a iniciativa as Secretarias de Estado de Meio Ambiente, de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta