Quem deseja construir ou reformar este ano vai sentir no bolso o peso da inflação em Mato Grosso (MT). Dados do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que apenas no primeiro quadrimestre de 2021 os preços já saltaram 8,16%.

 

Outra informação alarmante vem do Sindicato das Indústrias da Construção de Mato Grosso (Sinduscon) e da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). De acordo com os dois órgãos, os preços dos materiais de construção subiram até 161% nos últimos 12 meses no estado.

 

Com essa elevação constatada, o custo do metro quadrado (m²) construído no estado ficou em abril com média de R$ 1.326,75. Desse total, R$ 770,17 são de custos diretos com concreto e outros materiais, além de R$ 556,58 pela mão-de-obra.

No levantamento feito pelo Sinapi, o custo médio dos materiais de construção era de R$ 698,16 em novembro do ano passado, passando para R$ 770,17 em abril de 2021.

 

No ranking nacional, a inflação do Mato Grosso é a 5ª maior, com o estado ficando atrás de Minas Gerais (10,9%), Maranhão (8,8%), Alagoas (8,5%) e Sergipe (8,3%).

Segundo o levantamento, os 25 itens que compõem a lista de materiais que fazem parte do cálculo do Custo Unitário Básico por metro quadrado (CUB/m²) tiveram aumento. Entre os produtos, os que mais encareceram foram o aço, com um aumento de 161%, o fio de cobre antichama, com 103% e a placa de gesso liso, com 97% de acréscimo no custo.

 

“Estamos vivendo um fenômeno especial não apenas no Brasil, já todos os insumos tiveram impacto muito expressivo”, disse Marco Paulo de Mello Lopes, presidente do Instituto Aço Brasil, em entrevista à CNN Brasil.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta