EDC Group, consultoria de RH e outsourcing de serviços especializados, dá dicas que podem minimizar os impactos negativos acometidos pelo trabalho remoto e isolamento social

 A chegada da pandemia fez com que muitas empresas aderissem ao home office para preservar a saúde de seus colaboradores e não expô-los ao coronavírus. Com isso, trabalhar em casa se tornou mais prático e libertador para muitas pessoas. Por outro lado, o excesso de cobrança para manter o nível de qualidade de trabalho, a solidão por não estar rodeada de pessoas e não saber lidar com as atividades pessoais e profissionais juntas, começaram a se tornar massacrantes.

E pensando em ajudar a manter a saúde mental em ordem durante este período de trabalho remoto, Grazi Piva, diretora executiva de Gente, Gestão e Cultura, da EDC Group, consultoria de RH e outsourcing de serviços especializados, desenvolveu orientações e reflexões de como fazer para se adaptar ao Home Office de forma saudável, ter um dia produtivo e não sofrer com a rotina diária dentro de casa. Ela explica que o isolamento social já pode ser um fator que desperta movimentos negativos. “Solidão e excesso de trabalho estão relacionados a aumento de casos de estresse, ansiedade e depressão. Por isso, é fundamental manter uma rotina e se desconectar quando necessário”, explica.

Confira as dicas:

• Tenha rotina
Organize a sua rotina de trabalho como se estivesse sendo exercida presencialmente. Com uma definição específica para iniciar e finalizar o expediente, será mais fácil administrar o trabalho home office e ter períodos de descanso. Para pais e mães, tal organização é fundamental para que as crianças também tenham um tempo de convivência com eles. Não está fácil para ninguém e não existe receita mágica, mas a rotina será sempre uma grande aliada.

• Estabeleça metas
No trabalho home office existem horários mais flexíveis, que podem nos levar à procrastinação ou excesso de jornada. Por este motivo, é importante que você defina metas que devem ser cumpridas em determinados períodos, como número de atividades que serão executadas em um dia ou em um período específico (os planners podem ser ótimos aliados). Assim, você saberá gerir o seu dia de uma maneira que não lhe faça ultrapassar seu período de trabalho ou ser imprudente com os seus compromissos profissionais. Tenha sempre uma comunicação clara com seus gestores e pares, e preze pelo equilíbrio.

• Aprenda a dizer não! Isso é importante para definir prioridade
O não possibilita você chegar mais perto daquilo que deseja e coloca você como protagonista da sua história. Quando aprendemos dizer não, aquele espaço para terceirizar a culpa para o outro some, pois já não existe mais alguém pautando a nossa existência, ou seja, você assume as suas rédeas. Por que você não diz não?

• Tenha uma estação de trabalho
O home office não precisa significar que toda a residência se tornou um lugar de trabalho. É importante que exista uma divisão espacial que indique o momento de trabalho e ter uma estação que contribui com esse processo. Nela estarão seus documentos profissionais e as ferramentas necessárias para a execução de suas atividades diárias. Deixe sempre o local organizado e com sua identidade.

• Faça check-lists
Muitas vezes nos sentimos sobrecarregados e culpados com um acúmulo de tarefas. Fazer listas de pendências ajuda na definição de prioridades e na visualização de tarefas a serem cumpridas de uma maneira holística. Em muitos casos, veremos que os problemas e as pendências não são tão extensos quanto pensávamos. Os check-lists, além de tornar o seu trabalho mais produtivo, ajudarão a estabelecer as suas metas de produtividade, bem como realizar o registro de possíveis dificuldades e avanços no cumprimento das metas definidas. Eles podem incluir atividades profissionais e atividades domésticas, como a ida ao supermercado, a prática de atividades física e momentos de lazer.

• Converse
O trabalho home office pode gerar solidão e nos desconectar das pessoas. Como humanos, precisamos nos comunicar com os outros para fortalecermos nossas identidades e nos sentirmos parte da sociedade, afinal, somos seres relacionais. Busque conversar com seus amigos, familiares e colegas de trabalho – em muitos casos isso também ajuda a ver que suas angústias são comuns a outras pessoas e buscar coletivamente soluções que tornem a rotina mais leve.

• Tenha compromissos extraprofissionais
A pandemia pode gerar ansiedade e dificultar a separação de atividades domésticas, profissionais e pessoais. Sendo assim, é importante que você tenha uma agenda de atividades que não estejam associadas ao trabalho, como um horário para uma reunião virtual com os amigos, uma atividade com os filhos, uma ida ao supermercado, uma volta de bicicleta (quando possível), nunca esquecendo sua máscara de proteção.

• Invista em momentos de descontração
Quando compartilhamos o espaço de trabalho com a família e atividades domésticas, podemos perder a conexão com nossa própria identidade. Construir uma playlist com músicas que gostamos pode nos conectar com memórias afetivas e gerar bem-estar psíquico. Além disso, leia bastante, pois os livros são um meio de nos comunicarmos com o mundo exterior e de nos desconectarmos de fontes de informações que são massivas. Durante a leitura, podemos relaxar por meio da conexão com a história e da reflexão sobre ela. Outro momento que tem sido muito investido na pandemia, é estar mais perto das plantas. Cultivar um jardim ou uma horta é uma forma de contribuir com a adoção de práticas sustentáveis de cultivo, com o meio ambiente e também com a nossa relação com a natureza e com o tempo. Esse período dedicado ao cultivo gera prazer e bem-estar e pode reduzir a ansiedade.

• Pratique atividade física
A prática de atividade física, além de promover hábitos saudáveis, também contribui com a inserção de ações que te desvinculam da rotina de trabalho. Caminhar ao ar livre ou pedalar, por exemplo, são modos de desconectar a sua mente das atividades profissionais. Além disso, tornar a prática de atividade física um hábito demandará a inserção de horários para que ela seja realizada, reduzindo o tempo que pode ser dedicado ao trabalho eletivo. Um corpo saudável será sempre mais produtivo.

• Alimente-se de maneira saudável e faça pausas
Quando temos hábitos alimentares não saudáveis, optamos pelo consumo de alimentos que são preparados de maneira instantânea, como fast-foods e comidas congeladas. Com isso, muitas vezes não utilizamos a pausa para o almoço de maneira adequada. Quando nossas refeições incluem alimentos saudáveis, como saladas e grãos, nossos hábitos de consumo também são modificados e passam a incluir o ritual de se sentar à mesa e realizar a refeição de maneira mais lenta. Esse processo é um meio de melhoria dos hábitos alimentares, redução da ansiedade e de descanso. Levantar-se, andar pela casa, pegar uma água ou um café, contribui com a inserção de pausas durante o trabalho, que são necessárias para que sejam mantidas as condições ergonômicas adequadas ao trabalho.

• Seja original e desconecte-se
Não sermos nós mesmos pode ser muito exaustivo. Seja fiel a sua própria identidade, valores e essência. Viver somente para se encaixar em dinâmicas, grupos e situações, constroem muitas emoções negativas e acabam com o nosso humor e saúde. Então, olhe para dentro, conheça seus limites, paixões e sonhos. Tenha claro o que você quer para você. Isso não é egoísmo e sim sinônimo de bem-estar e vitalidade. Outro ponto é: desconecte-se um pouco, pois diariamente, recebemos um número imenso de informações. No caso do trabalho, quando temos os e-mails e contatos profissionais em nossos telefones, se torna difícil evitar dar respostas de maneira imediata. Sendo assim, é importante ter um momento de desconexão de redes sociais e caixas de e-mail que estejam relacionadas ao trabalho, para que possamos viver para além dele. Diminuir as notificações dos smartphones e estabelecer horários para uso de e-mails, pode ser uma ótima estratégia.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta