Doença autoimune, o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), que é responsável por 70% de todos os casos de lúpus, costuma ser difícil de diagnosticar devido à grande variedade de sintomas que pode causar – desde dores nas articulações e nos músculos, fadiga, febre, queda de cabelo até anemia. Embora nenhum sintoma seja suficiente para confirmar que alguém tem lúpus (já que os sintomas podem mudar com o tempo), há um sinal que ocorre em 30% dos pacientes: uma erupção facial cutânea em forma de borboleta.

Conforme explica a médica dermatologista Karin Krause Boneti, esta erupção cutânea que floresce nas bochechas e nariz, também conhecida como erupção malar, é, na verdade, um dos vários problemas de pele associados ao lúpus. “Além de sua forma característica, geralmente é identificado por sua cor e textura. Dependendo do indivíduo, a erupção cutânea em borboleta pode variar de um tom de vermelho muito claro a profundo e, às vezes, pode ser elevada ou escamosa”.

A médica dermatologista ressalta que este tipo de erupção cutânea associada ao lúpus pode ocorrer quando células relacionadas ao sistema imunológico na pele de um paciente com lúpus reagem aos danos da exposição à luz ultravioleta (como, por exemplo, passar muito tempo ao sol) liberando químicos inflamatórios. “Quando o sistema imunológico ativa para ‘limpar’ os danos da luz ultravioleta, uma inflamação autoimune pode ocorrer nessa área”.

Karin comenta que o motivo pelo qual ocorre a forma de borboleta não é claro. “Acredita-se que pode ser porque as bochechas e o nariz são geralmente expostos a mais luz solar direta do que o lábio superior. A propósito, quando uma erupção cutânea surge, esteróides tópicos podem ajudar a diminuir a inflamação, enquanto esteróides orais podem fornecer às pessoas um ‘alívio rápido’, em casos particularmente graves. Mas, apenas um médico poderá definir o melhor tratamento a longo prazo”.

De acordo com a médica dermatologista, prevenir um surto de sintomas de lúpus pode ser algo extremamente difícil. “Os gatilhos para uma crise podem incluir estresse físico e emocional, bem como infecções. Mas, para pacientes com lúpus que apresentam erupção cutânea em borboletas, usar protetor solar de amplo espectro, evitar a luz solar durante os horários de pico e se cobrir sempre que estiver ao ar livre são medidas preventivas importantes”.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta