O herdeiro da Casas Bahia, Saul Klein , 67, filho de Samuel Klein , acusado de estupro por 32 mulheres, admite em vídeo que pagou R$ 800 mil pelo silêncio de vítimas. Bem antes de ser denunciado pelo Ministério Público por estupro e aliciamento , em dezembro de 2020, ele firmou contratos com pelo menos duas mulheres, pagando R$ 800 mil a cada uma. As informações são do Universa, do portal UOL.

Em 2020, quando se candidatou a vice-prefeito de São Caetano do Sul, o empresário e herdeiro da rede varejista Casas Bahia declarou um patrimônio de R$ 61,6 milhões à Justiça Eleitoral. Com o documento, Universa apurou que Saul Klein firmou contratos com pelo menos duas das garotas que frequentavam sua casa no bairro nobre de Alphaville, em Barueri (SP), e também em seu sítio em Boituva (SP), pagando R$ 800 mil a cada uma delas em troca de silêncio sobre os casos de aliciamento e estupro.

No esquema, Klein recrutava mulheres pelas redes sociais para trabalhos como modelo, que na verdade era a forma de aliciá-las e estuprá-las. A Justiça já recebeu no mínimo duas ações cíveis, uma acusação criminal e cinco processos trabalhistas contra o herdeiro da Casas Bahia, todos relacionados ao suposto esquema de aliciamento e abusos.

Segundo as informações, as casas de Saul Klein recebiam até 40 mulheres no mesmo fim de semana, incluindo menores de idade . Ele se defende alegando ser um “sugar daddy”, ou seja, um homem mais velho (e normalmente rico) que tem como fetiche sustentar mulheres mais novas em troca de carinho, afetou ou até mesmo sexo. Em alguns desses processos, ele chegou a prestar depoimentos e confirmou dois contratos em que se comprometeu a pagar R$ 800 mil pelo silêncio de duas mulheres envolvidas.

Klein diz que as jovens ameaçaram divulgar fotos íntimas suas e revelar que ele teria tido relações com uma menor de idade, segundo Universa.

Via | Universa
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta