O Ministério da Saúde avança na aquisição do medicamento adalimumabe, usado para o tratamento de diversas doenças como artrites, espondilite, psoríase e doença de Crohn. Os pacientes em tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão com o medicamento (na versão frasco-ampola) garantido para o primeiro semestre deste ano. A expectativa é que o estoque esteja regularizado em outubro de 2021.

Para atender a demanda de todos os pacientes durante esse processo, o Ministério da Saúde conseguiu uma doação de 2.002 unidades e assinou um contrato aditivo. Essa quantidade é suficiente para regularizar o abastecimento dos pacientes no primeiro semestre de 2021. A previsão do laboratório para regularização total da produção é a partir de outubro deste ano.

O medicamento é comprado pelo Ministério da Saúde e distribuído de acordo com a necessidade de estados e municípios. No ano passado, a pasta emitiu um ofício informando sobre a troca de laboratórios fabricantes do medicamento na versão frasco-ampola, após a empresa farmacêutica anterior perder o registro junto à Anvisa. O novo laboratório – agora detentor do registro – está em fase inicial de produção.

Novo edital

O Ministério da Saúde publicou um edital para a compra do medicamento adalimumabe, no formato seringa, no dia 1º de abril. A licitação, por meio de pregão eletrônico, será no dia 14/4. O processo foi necessário após o laboratório fabricante anterior declarar impossibilidade de produção.

Adalimumabe no SUS

O SUS oferece o medicamento para o tratamento de Artrite Psoríaca, Artrite Reumatoide, Artrite Idiopática Juvenil, Doença de Crohn, Espondilite Anquilosante, Hidradenite Supurativa, Psoríase, Uveítes não Infecciosas, em duas apresentações – solução injetável em frasco-ampola e seringa.

Os pacientes que usam a medicação também podem migrar para outras alternativas terapêuticas ofertadas pelo SUS, conforme a orientação do seu médico.

Via | Assessoria Ministério da Saúde

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta