Na manhã de terça-feira (9), os secretários de Desenvolvimento Econômico, Klayton Gonçalves; Meio Ambiente, Ivete Malmamm, e o vice-presidente da região norte da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson Redivo, estiveram reunidos com representantes da Defesa Civil de Mato Grosso para debater sobre o grande volume de chuvas em Sinop, que tem causado prejuízos econômicos e danos civis. Segundo Klayton, a Prefeitura de Sinop está atenta aos problemas gerados pelo excesso de chuvas nas áreas urbanas e rurais. “Foram cerca de 15 dias seguidos de chuvas que causaram alagamentos contínuos, perdas para produtores rurais e transtornos. Além disso, a previsão de mau tempo continua”, frisou.

Durante a reunião, o coordenador da Defesa Civil de Mato Grosso, Tenente Cleberson, afirmou que em posse do levantamento das informações detalhadas, irá elaborado um relatório sobre a situação. “Temos alguns critérios que precisam ser seguidos, então vamos in loco fazer vistorias, coletar alguns documentos necessários, para ver se realmente cabe esse reconhecimento ou não”, explica o tenente sobre a avaliação da possibilidade de decretar estado de emergência no município.

De acordo com Ilson Redivo, vice-presidente da região norte da Aprosoja e presidente do Sindicato Rural de Sinop, a safra de soja 2020/2021, que tem área plantada de 175 mil hectares, foi afetada com o grande volume de chuvas. “A soja está sendo colhida, com muita dificuldade, e grande parte já está comercializada. Os produtores da nossa cidade e região, já relatam perdas por causa do volume de chuvas”, explicou.

No último sábado (6), Sinop participou de uma reunião com representantes de cidades da região e produtores rurais em Sorriso, para debater sobre os prejuízos causados nas lavouras, pelo excesso de chuvas, e decidir ações em conjunto.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta