O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) anunciou neste sábado (27), que vai entregar um projeto de lei na Câmara Municipal, na próxima segunda-feira (1º) para criar medidas ainda mais rigorosas na fiscalização dos estabelecimentos comerciais que descumprem as medidas já estabelecidas de biossegurança durante a pandemia.

Durante a reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, realizada nessa sexta-feira (26), houve a definição da volta do toque de recolher. No entanto, o prefeito aguarda a decisão da Justiça para definir as próximas medidas.

O prefeito informou que vai solicitar a votação em urgência.

Segundo Emanuel Pinheiro, as medidas irão desde advertência até a suspensão do alvará com o fechamento do estabelecimento por até 90 dias.

Para o prefeito, este não é o momento de decretar lockdown, para evitar que o setor produtivo seja mais prejudicado durante a pandemia.

Cuiabá já registrou desde o início da pandemia mais de 56 mil casos de Covid-19 e 1.514 mortes em decorrência da doença.

Na manhã deste sábado (27) o prefeito também aderiu à instalação de um consórcio por meio da Frente Nacional dos Prefeitos (FPN) para aquisição das vacinas contra a Covid-19.

Vacinas

A Prefeitura de Cuiabá recebeu novas doses de vacinas contra a Covid-19 nesta sexta-feira (26), e deve retomar a campanha de imunização na próxima semana.

A Secretaria de Saúde de Cuiabá retirou 2.060 doses da vacina Coronavac e 4.350 da AstraZeneca.

Na segunda-feira (1°) será feita a distribuição para os municípios do interior do estado.

A orientação do Ministério da Saúde é para que as doses da CoronaVac sejam destinadas aos idosos de 80 a 84 anos ou para a segunda aplicação em pessoas já imunizadas com a primeira.

Já o imunizante da AstraZeneca deve ser destinado à aplicação da primeira dose em idosos de 85 a 89 anos e trabalhadores da saúde.

Até o momento, o estado recebeu o total de 224.560 mil doses do Ministério da Saúde em seis remessas.

Via | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta