O segundo suspeito da morte da empresária Rosemeire Soares Perin, de 52 anos, que estava desaparecida desde terça-feira (16) e foi encontrada assassinada na tarde desta quinta-feira (18) na região da Passagem da Conceição, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, foi preso pela Polícia Militar.

A PM recebeu informações sobre o segundo suspeito e conseguiu localizá-lo no bairro São Matheus, em Várzea Grande.

No local a polícia encontrou um tablete de maconha e vistoriou um carro na garagem. Dentro do automóvel, no porta-malas, a PM encontrou dois pacotes de cal.

O suspeito confessou que usaria o produto para jogar sobre o corpo da vítima e acelerar o processo de decomposição, além de esconder o odor do corpo.

De acordo com a Rotam, o primeiro suspeito contou que já conhecia a vítima, de quem locava máquinas de sorvete.

Ele disse que na data do desaparecimento, a empresária esteve no lava-jato para negociar a venda de uma máquina de fazer sorvete, tipo italiano. O suspeito afirmou que ele e o comparsa a levaram para dentro da casa, onde ela foi amarrada, amordaça e degolada.

Ele foi encaminhado à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A DHPP investiga o caso e há uma coletiva de imprensa prevista para o final da manhã desta sexta-feira (19).

Prisão do 1º suspeito e localização do corpo

De acordo com policiais da Rotam, a Polícia Militar conseguiu imagens do carro passando por uma ponte entre Cuiabá e Várzea Grande e identificou que um suspeito que usa tornozeleira estava dentro do veículo.

A PM então fez uma diligência e conseguiu localizar o suspeito que estava com os documentos da vítima no bolso. Em depoimento, ele teria confessado participação no crime.

A empresária saiu de casa no final da manhã de terça-feira, em Cuiabá, para trabalhar em Várzea Grande.

A vítima teria sido degolada e o corpo foi enrolado em um cobertor.

Via | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta