Apesar das chamas terem sido controladas no Pantanal – mas o fogo ainda não acabou – os efeitos da devastação continuam. Os animais agora sofrem de “fome cinzenta”, uma condição causada pelo desequilíbrio provocado na cadeia alimentar, que gerou falta de alimentos. O problema complica com a falta de água.

Para a presidente da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB-MT), Glaucia Amaral, a situação no Pantanal ainda é muito preocupante.

“Os animais continuam sofrendo no Pantanal e ainda precisam da nossa ajuda. Eu conclamo a toda a sociedade mato-grossense: continue colaborando com alimentos, frutas, ovos, com medicamentos, equipamentos e o atendimento a esses animais”.

Fome Cinzenta

O coronel da reserva Barroso, do Corpo de Bombeiros, que é comandante do Incidente do Posto de Atendimento Emergencial a Animais Silvestres (Paeas), explica que os trabalhos de socorro aos animais continuam e, devem ser realizados até que as chuvas sejam mais frequentes, e a vegetação volte a crescer.

“A chuva que está caindo no Pantanal não está sendo suficiente para esses animais se dessedentarem. O trabalho continuará até que as chuvas se fortaleçam e aconteça a rebrota das plantas herbáceas para que a mesofauna e a pequena fauna possa se alimentar e possa manter a cadeia alimentar dos maiores predadores”, detalha o comandante.

Barroso, que está na linha de frente do salvamento dos animais do Pantanal, relata, ainda, que muito animais estão desnutridos e desidratados e, que outro problema é que muitos desses animais ao tentar atravessar as rodovias acabam sendo atropelados, porque estão fracos e sem condições de reflexo e auto-defesa em pleno funcionamento.

Faça sua parte

A organização É o Bicho MT continua recebendo doações de alimentos que estão sendo entregues no Pantanal.  A ONG pede a doação de 625 quilos de ração para cães e uma tonelada de ração para equinos, que precisam ser distribuídos até o dia 5 de novembro.

Também são necessários voluntários para fazer triagem dos alimentos, que tenham disponibilidade de ajudar de segunda a sexta-feira a partir das 16h, na rua Feliciano Galdino, 50, bairro Porto, Cuiabá-MT.

Mais informações: Jenifer (65) 99964-8889.

Fonte | Assessoria

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *