Confira essas e outras respostas para informações falsas que circulam na internet na série de dez reportagens divulgadas pela Comunicação do TSE

Não é verdade que a urna eletrônica é projetada por empresas privadas. O projeto da urna brasileira é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A confusão ocorre porque a urna eletrônica tem vida útil de 10 anos e, após esse período, é preciso realizar licitação para que empresas privadas possam fornecer apenas os equipamentos. A base do projeto é mantida, e o sistema permanece sendo controlado exclusivamente pelo TSE.

A urna começou a ser desenvolvida em 1995 por especialistas em Tecnologia da Informação, engenheiros eletrônicos e técnicos das áreas de Segurança e Telecomunicações de instituições como o Instituto de Tecnologia da Aeronáutica (ITA), o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Ministério das Comunicações, as Forças Armadas e os servidores do TSE.

A matéria da próxima terça-feira (6) desmentirá a informação que circula nas redes de que a urna eletrônica não é segura. Confira e compartilhe!

Fonte | TSE

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *