Arrastada para fora do trabalho por não aceitar a reatar o casamento, uma funcionária de uma lanchonete no bairro CPA IV, em Cuiabá, Vanessa Gonçalves Santana da Costa, de 31 anos, foi brutalmente assassinada com quatro tiros na noite deste domingo (20). O principal suspeito do crime é o ex-marido da vítima, o funcionário da Energisa Elinaldo Rezende da Costa, de quem ela havia se separado há dois meses. Porém o homem não aceitava o fim do relacionamento. Hora depois do crime, ele também tirou a própria vida. Nesta manhã (21), o corpo dele foi encontrado no linhão do bairro Nova Conquista.

O feminícidio ocorreu por volta das 19h, em frente à loja Moda Verão, na avenida Tuiuiu. Conforme testemunhas, ela foi arrastada à força pelo homem para fora do trabalho que em seguida atirou 4 vezes. Um dos tiros atingiu a nuca de Vanessa e outro a nuca. Colegas de trabalho da vítima tentaram impedi-lo, mas ele sacou a arma e ameaçou os presentes.

Do lado de fora, ele deu quatro tiros em Vanessa, que não teve nenhuma chance de defesa. Ela morreu na hora e Elinaldo fugiu em uma moto Honda Biz branca.

Conforme informações de testemunhas, a lanchonete estava lotada quando o homem chegou. Após disparar e matar a mulher, ele ainda apontou a arma para os clientes, que chegaram a correr. Familiares relataram que Elinaldo estava ameaçando Vanessa há dias por ela não aceitar reatar o relacionamento.

O caso é investigado pela delegada Eliane Moraes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Luto nas redes sociais

Em últimas mensagens deixadas por Vanessa em um rede social estavam relacionados a relacionamentos abusivos.

Em um deles, é divulgado o seguinte texto. “Você tem uma relação para ser feliz, sorrir e ter boas lembranças. Não para estar constantemente incomodado, sentir-se ferido e chorar. Escolha a relação que o levará a um crescimento interior e ao amor”.

Outra amiga comenta, também na rede, que ela deixa “duas filhas lindas por quem ela era completamente apaixonada, com sonhos, metas e uma vida inteira pela frente”. E lamenta: “mais um homem machista e possessivo resolveu que tinha poder sobre ela, sobre sua vida e a tirou brutalmente. Definitivamente, nunca estamos seguras. Quando vão parar de nos violentar, de nos humilhar, de nos matar? Quando uma de nós morre, todas morremos um pouco. #queremosjustiçapelavanessa”.

Fonte | Nortão News

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *