Bruna Rafaela Vellasquez e Monique Medeiros de Almeida “estavam na beirada da cachoeira”, segundo o capitão Jacques, da 5ª Companhia do Batalhão de Aviação de Lages, que esteve na ocorrência. De acordo com ele, uma das jovens escorreu e a outra tentou ajudá-la, mas acabou se desequilibrando também e caindo junto com a amiga.

De acordo com o capitão, os médicos constaram a morte de Bruna assim que chegaram ao local. Monique, por sua vez, ainda possuía sinais vitais. Ela foi retirada da cachoeira em uma maca e transportada de helicóptero, que pousou em uma área próxima para realizar os primeiros socorros. Apesar dos esforços dos oficiais, Monique morreu antes mesmo de chegar à unidade de saúde.

“Como era um local que não tinha mesmo como chegar ali sem o helicóptero, sem ele não seria possível fazer esse resgate de forma rápida, infelizmente, ela [Monique] veio a óbito, mas era o que a gente conseguiu fazer ali. Como ela estava muito mal, estava com traumatismo crânio encefálico bastante grave, então, realmente não deu para salvar”, lamentou Jacques ao UOL.

O local onde aconteceu a tragédia era de difícil acesso. Segundo o capitão, só era possível chegar ao ponto onde as jovens caíram depois de uma trilha.

“A parte que elas [as vítimas] estavam ali era bem difícil porque ela não tem um acesso. O acesso ali se dá por trilhas. E devido a dificuldade de chegar no corpo, como não tinha por onde chegar mesmo, elas caíram ali em um lugar que não tinha acesso, então, por isso, foi fundamental o uso do helicóptero.”

Ao UOL, a Polícia Militar de Santa Catarina informou que prestou apoio a ocorrência com o helicóptero e disse também que os socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que estavam no local garantiram que era proibida a visitação na cachoeira onde as jovens estavam.

“Segundo os socorristas, o lugar onde as jovens estavam é proibido para visitação, mas visitantes acabam indo até o local atraídos pela paisagem”, disse a corporação em nota publicada pelo UOL.

Antes da fatalidade, as jovens compartilharam em suas redes sociais fotos dentro de um carro na estrada, provavelmente a caminho da cachoeira.

Posteriormente, uma das pessoas que foi marcada na postagem das vítimas também publicou uma foto de um grupo de pessoas em um lugar que parece uma cachoeira. É possível ver, na imagem, duas pessoas sentadas em uma parte mais alta, enquanto o restante do grupo permanece em uma posição inferior.

Fonte | Yahoo

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *