Pesquisa do Sebrae mostra que dentro do universo dos que têm conseguido aumento no faturamento, os motivos apontados são o lançamento de novos produtos e serviços e até a alteração total do negócio

A pandemia do coronavírus instalou uma crise econômica no país sem precedentes. Os mais de 17,5 milhões de pequenos negócios são um dos setores que mais sentem os efeitos dessa instabilidade. Entretanto, dentro desse universo há quem tenha conseguido aumentar o seu faturamento através da inovação. De acordo com a última 5a pesquisa do Sebrae sobre impacto do coronavírus nas MPEs (realizada no último mês de junho), entre as empresas que aumentaram seu faturamento, 13% alteraram seus serviços e produtos e 8% mudaram completamente seu modelo de negócios.

A BeGraf é uma dessas empresas que transformou totalmente sua estrutura, aproveitando a expertise no mercado e o capital humano que já tinham. Inicialmente, o empreendimento oferecia soluções integradas de compras, através da gestão de produção e distribuição de materiais gráficos, comunicação visual e brindes promocionais para empresas de médio e grande porte no Brasil. Porém, com a transformação digital que afetou diretamente as demandas gráficas, somadas aos efeitos da pandemia, que colocou a maioria dos clientes em isolamento social, a BeGraf deu lugar para a Meetz.

A startup Meetz é uma plataforma digital de prospecção que realiza conexões entre empresas e potenciais clientes. Após um estudo de caso do assinante, são definidos o perfil ideal de compradores para os seus produtos. O time Meetz entra em ação e prospecta milhares de clientes, agenda reunião com a equipe comercial dessas empresas e entrega leeds para seus assinantes em números exponenciais. De acordo com o plano escolhido, o cliente pode receber entre 500 e 2000 prospects por mês. Além disso, as reuniões já chegam com dia e hora marcada. A empresa nasceu em março, no início da pandemia no Brasil, por isso suas operações são todas em home office.

Juliano Dias, empresário à frente das modificações, analisa que a mudança no produto principal exige coragem para fazer e faro para aproveitar antigos clientes. “A transformação não acontece do dia para a noite. O empresário sente que as coisas não estão indo bem. Nesse momento é hora de traçar novas possibilidades e, na medida do possível, apostar em algo que possa ser vendido para os antigos clientes. Dessa forma, você não começa do zero. Tudo que você passa como empreendedor é uma lição, essa capacidade de se reinventar é mais uma das habilidades que são fundamentais para quem quer trabalhar com inovação. Lembrando que feito é melhor do que perfeito”, afirma.

O analista de competitividade do Sebrae, Rafael Moreira, informa que os empreendedores que estão pensando em lançar novos produtos ou até mesmo mudar o foco de sua empresa devem observar alguns pontos essenciais. “O ideal é que, antes de qualquer manobra, o empreendedor identifique problemas ou demandas de seus clientes. Dentro dessas necessidades, pode haver oportunidades a serem testadas. Passada essa observação é hora de testar soluções e só então lançar as novidades para o público em geral. O foco no cliente é a principal dica, perceber o que não funciona mais e o que pode ser implantado”, orienta.

Fonte | Assessoria Sebrae  Foto | Pixabay

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *