Parte do documento, de um total de 42 páginas, foi vazado à imprensa nesta quinta-feira (23) e confirma tiro a curta distância.

Trecho do laudo da Politec (Perícia Oficial e Identificação Técnica) de 42 páginas, sobre o caso do homicídio de Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, vazado à imprensa nesta quinta-feira (23) comprova as notícias divulgadas na quarta-feira (22), de que a adolescente teria sofrido um tiro ‘à queima roupa’ na noite do dia 12, um domingo, na casa da ‘melhor amiga’ B.O.C, no condomínio Alphaville 1, bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

De acordo com a página do documento, “a morte de Isabele se deu em decorrência de um traumatismo Cranioencefálico por ação de instrumento perfuro-contundente com disparo de arma de fogo efetuado a curta distância”.

A informação chegou deixando ainda mais ‘confusa’ a história, já que não bate com o que foi relatado nos depoimentos da família Cestari, aumentando as dúvidas e perguntas sobre as circunstâncias do ‘acidente’, dentre as muitas que ainda não foram esclarecidas, principalmente, agora, como teria acontecido esse tiro de tão perto, que segundo informações extraoficiais, as duas adolescentes estava a menos de 40 cm de distância.

Outra informação que estaria no referido laudo, porém, não nesta parte a qual a imprensa teve acesso, e de que os peritos teriam verificado que o tiro, que entrou pela narina e saiu pela nuca, percorreu uma linha reta e não no sentido de ‘baixo para cima’ como era especulado desde o início desta semana.

A cada passo andado da investigação mais dúvidas ficam no ar, pontos constatados confrontam os depoimentos e por tal fato a possibilidade, já quase certa, de que o Delegado da DEA (Delegacia especializada do Adolescente), Wagner Bassi, peça a reconstituição do crime, que deverá ser feita na casa dos Cestari no Alphaville, como última alternativa para que as circunstâncias sejam todas esclarecidas.

Powered by Rock Convert

 Para o procedimento, o delegado estaria aguardando apenas os resultados da última perícia feita na residência na última sexta-feira (17) e conforme apurado pelo , o laudo foi entregue ao delegado nessa quarta.

Patrícia Hellen Guimarães, mãe de Isabele, disse na porta da DEA, na última terça-feira (21) que a reconstituição do crime talvez seja a única forma de esclarecer todos os fatos e tirar todas as dúvidas do momento em que a filha foi baleada.

“Estou com o coração dilacerado. Se pudesse me esconder e ficar sozinha, mas não posso. Estou aqui para ajudar o trabalho da polícia. Eu espero Justiça”, afirmou Patrícia.

Veja o laudo:

Página do laudo da Politec sobre a morte de Isabele Guimarães Ramos.

Fonte | Repórter MT

Cuiabá | Polícia apreende imagens e celulares na casa de menina suspeita de disparo acidental que matou amiga

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 4 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *