Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, morreu no dia 12 deste mês. Pai da amiga dela havia sido preso por não ter registro de duas das 7 armas encontradas na casa.

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Rondon Bassil Dower Filho, derrubou nesse domingo (19) a decisão que determinou fiança de R$ 209 mil para o pai da adolescente que matou a amiga Isabele Guimarães, com um tiro acidental, no dia 12 de jullho, em Cuiabá.

O empresário havia sido preso em flagrante por posse ilegal de arma e foi solto após pagar fiança de R$ 1 mil.

Com a decisão de Bassil, a fiança caiu de R$ 209 mil para R$ 10 mil. O juiz da 10ª Vara Criminal de Cuiabá deve intimar o pai da adolescente e manter o valor da fiança.

Amigos e familiares deixaram flores e homenagens em calçada de casa onde adolescente foi morta por tiro acidental em Cuiabá — Foto: Arquivo pessoal
Amigos e familiares deixaram flores e homenagens em calçada de casa onde adolescente foi morta por tiro acidental em Cuiabá — Foto: Arquivo pessoal

Amigos e familiares da adolescente deixaram flores, homenagens e bichos de pelúcia na calçada da casa onde o caso aconteceu.

A homenagem ocorreu nesse domingo (19), uma semana após a morte da garota. Em entrevista ao Fantástico, a mãe de Isabele declarou que a ‘filha foi fazer um bolo e saiu carregada pelo IML’.

O caso

A casa da adolescente envolvida na morte foi alvo de uma ação policial na sexta-feira (17).

Equipes da Delegacia Especializada do Adolescente de Cuiabá (DEA) e da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) cumprem mandados de busca na residência do condomínio onde ocorreu a morte da adolescente.

Segundo o advogado da família, o pai da adolescente suspeita do disparo estava na parte inferior e pediu para que a filha guardasse a arma no andar superior, onde estava Isabele.

A adolescente pegou o case – uma maleta onde estavam duas armas – e subiu obedecendo ao pai. Apesar de estar guardada, a arma estava carregada.

Em seguida, o objeto teria caído e a adolescente tentou guardar de volta no case quando o disparo ocorreu.

As buscas também são realizadas na residência do pai do namorado da adolescente envolvida na ocorrência, que é proprietário de duas armas que estavam na casa onde ocorreu a morte da adolescente.

Prisão do pai

O pai da menina, que tinha sete armas na residência, também foi ouvido pela polícia. Ele chegou a ser preso por não ter documento de duas armas, mas foi liberado após pagar fiança de R$ 1 mil.

O advogado da família, Rodrigo Pouso, disse ao G1 que a arma pertence ao sogro da jovem que fez o tiro acidental. A prisão de Marcelo ocorreu justamente porque ele não tinha documentos dessa pistola que não é dele.

Entenda o caso

A situação ocorreu na noite do dia 12 de julho em condomínio de luxo, localizado no bairro Jardim Itália. A jovem que atirou tem a mesma idade da vítima e pegou a arma do pai dela, que é atirador esportivo.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi ao local, mas ela já havia morrido. Ela foi encontrada no banheiro da residência.

Isabele era filha do médico neurocirurgião Jony Soares Ramos, de 49 anos, que morreu em um acidente, em junho de 2018 na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), em Cuiabá. Ele pilotava uma motocicleta e atropelou uma vaca.

Fonte | G1

Prática de tiro por menores: MPMT requer à PGR ação de inconstitucionalidade

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *