Companhia realizou mais de 400 estudos para desenvolvimento de culturas agrícolas e obteve altas produtividades em soja e algodão na última safra

A SLC Agrícola tem como um de seus pilares o desenvolvimento de pesquisas para aprimoramento das culturas agrícolas e o aumento de conhecimento em relação à genética dos grãos, de acordo com os solos, regiões e condições climáticas do País. A empresa, em 2019, realizou 415 ensaios para estudos das culturas de soja, algodão e milho nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, para proporcionar melhorias e acréscimo de produtividade em suas fazendas. A maioria dos estudos visou ajustar o posicionamento das culturas, mas também as estratégias de adubação, manejo de solo e avaliação das tecnologias fitossanitárias.

“Se hoje chegamos a uma expressiva média de produtividade em nossas fazendas, muito disso é por conta das pesquisas que desenvolvemos ao longo destes 75 anos de atuação. Possuímos equipes dedicadas à pesquisa e estruturação de conhecimento sobre o comportamento das culturas nas diferentes regiões e condições climáticas do Brasil. Nossos principais objetivos são a validação de tecnologias e a avaliação de manejos e inovação em técnicas de produção, para ganharmos eficiência, produtividade, redução de custo e melhorias operacionais”, declara Aurélio Pavinato, CEO da SLC Agrícola.

Ainda em 2019, a empresa reforçou a utilização de um sistema de inteligência artificial, desenvolvido exclusivamente para a SLC Agrícola, capaz de realizar o cruzamento das informações e auxiliar na determinação dos melhores tipos de sementes para cada área de cultivo. Por meio dos resultados levantados nos ensaios na safra 2018/2019, foi possível alcançar a produtividade de 102 sacas/hectare de soja na Fazenda Planalto, em Costa Rica (MS), e produtividade no algodão acima de 450 arrobas/hectare na Fazenda Paiaguás, em Diamantino (MT), mesmo em condições de segunda safra, em que o potencial é mais limitado do que uma condição de primeira safra.

A SLC Agrícola trabalha com áreas de experimentação em 13 fazendas, localizadas nos estados do Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Bahia, totalizando 1,5 mil hectares destinados à realização de ensaios. Este laboratório segue padrões rigorosos de experimentação agrícola, sob os quais todos os dados são analisados por profissionais dedicados e com o uso de ferramentas estatísticas. Os resultados são consolidados em relatórios gerenciais e utilizados no ciclo de planejamento agrícola das fazendas da companhia.

“Os investimentos em pesquisa proporcionam a identificação de variedades genéticas mais bem adaptadas às condições de clima e de solo para as microrregiões em que atuamos. Assim, aumentamos a produtividade por hectare plantado e reduzimos as perdas devido a fatores climáticos. Com essa estrutura tecnológica, também buscamos mensurar e ter maior compreensão sobre a incidência de chuvas e aprimorar nossas decisões sobre plantio, aplicação de defensivos e fertilizantes, diminuindo custos operacionais”, complementa Pavinato.

Confira o Relatório Integrado da SLC Agrícola, que traz os principais dados e ações desenvolvidas pela empresa em 2019, além das estratégias de negócios para os próximos anos e informações relacionadas à biodiversidade: http://ri.slcagricola.com.br/relatoriointegrado2019/.

Sobre a SLC Agrícola

A SLC Agrícola, fundada em 1977 pelo Grupo SLC, é uma das maiores produtoras mundiais de grãos e fibras, focada na produção de algodão, soja e milho. Foi uma das primeiras empresas do setor a ter ações negociadas em Bolsa de Valores no mundo, tornando-se uma referência no seu segmento. Com Matriz em Porto Alegre (RS), a Empresa possui 16 Unidades de Produção estrategicamente localizadas em 6 estados brasileiros que totalizaram 449.162 hectares no ano-safra 2019/20 – sendo 125.470 ha de algodão, 235.438 ha de soja, 83.043 ha de milho e 5.211 ha de outras culturas.
Fonte | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *