Laboratório de Biologia Molecular atenderá os municípios de Alta Floresta, Carlinda, Paranaíta, Nova Monte Verde, Nova Bandeirantes e Apiacás

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) realizou, no último sábado, (11), a solenidade de inauguração do Laboratório de Biologia Molecular do campus de Alta Floresta, que realizará testes para detecção de Covid-19. O projeto é fruto de uma parceria com o Consórcio de Saúde da região norte de Mato Grosso, envolvendo os municípios de Alta Floresta, Apiacás, Carlinda, Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde e Paranaíta. O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) e a Justiça do Trabalho, por intermédio do Comitê Interinstitucional de Ações Afirmativas, destinaram R$ 215.275,00 para a aquisição de itens necessários ao funcionamento do laboratório.

A procuradora do MPT Ludmila Pereira Araújo participou da inauguração e comentou a importância da iniciativa. “Como a gente tem acompanhado diariamente, são os estudos, as pesquisas científicas e os laboratórios das universidades os responsáveis pelas soluções no combate ao novo coronavírus. Na nossa região, por exemplo, os exames feitos pela rede pública são enviados para Cuiabá, demoram cerca de duas semanas para retornarem com o resultado e isso dificulta muito no controle aqui na localidade, já que a gente não consegue ter a real dimensão da contaminação. O laboratório para detecção da Covid-19 com certeza auxiliará muito, tanto na prevenção, quanto no mapeamento da doença na região. Acreditando nisso, que nós, MPT, destinamos recursos para a compra de material para o laboratório”.

O reitor do Instituto Federal de Mato Grosso, Willian Silva de Paula, reforçou que o laboratório é uma conquista não só para o Instituto Federal, mas para toda a sociedade mato-grossense. “Esta é uma ação fortalecida por parcerias. Elas mostram a importância e a necessidade de estarmos juntos no combate a esse vírus, que tem deixado a todos apreensivos em relação à nossa fragilidade humana. Temos outras unidades também realizando testes, como o campus Lucas do Rio Verde e o campus Bela Vista, e nos demais campi estamos todos trabalhando da melhor forma possível no combate a essa pandemia”.

O laboratório será o único da região a realizar os testes PCR, considerado “padrão-ouro” para diagnóstico da Covid-19, pelo alto índice de precisão e confiabilidade. Hoje, as cidades da microrregião de Alta Floresta só fazem os chamados “testes rápidos”, que têm alto índice de falso-positivo ou falso-negativo.

O diretor-geral do campus de Alta Floresta, professor Júlio Cezar dos Santos, informou que, inicialmente, a capacidade semanal será de 480 testes. A depender da demanda, a quantidade de exames poderá ser dobrada.

Fonte | Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) e IFMT

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *