O presidente Abimaq lembra que mais de 50% das máquinas agrícolas no país tem 10 anos de uso e a renovação via Moderfrota é fundamental, pelas linhas com juros menores

O agronegócio brasileiro tem atravessado bem as crises econômicas, mas a pandemia da Covid-19 está impactando a produção de máquinas agrícolas. Em junho houve queda de 25% sobre o mesmo mês de 2019 e um recuo de 23% no acumulado de 2020. O Plano Safra do Ministério da Agricultura reduziu para R$ 9 bilhões as linhas de financiamento para máquinas e implementos.

O vice-presidente da Anfavea, Alfredo Miguel, minimiza a queda e avalia que outras linhas disponíveis vão dar suporte e opções ao tradicional Moderfrota. “Haverá crédito suficiente, orçamento suficiente para atender essa demanda durante o ano safra, que vai de agora até o próximo ano, em junho.”

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Marchesan, questiona a redução do Moderfrota, o valor que o governo destinou no Plano Safra 2020/2021. “Nós entendemos que o volume de recursos, principalmente para o Moderfrota, é insuficiente para atender a atual demanda de máquinas que o mercado está demandando. A nossa maior preocupação é que em janeiro de 2021 nós ficaremos sem recursos para financiar as essas máquinas.”

O presidente Abimaq lembra que mais de 50% das máquinas agrícolas no país tem 10 anos de uso e a renovação via Moderfrota é fundamental, pelas linhas com juros menores. A produção de máquinas agrícolas caiu no Brasil sobretudo pelas exportações; porque o mercado interno mantém bom desempenho nas colheitadeiras e colhedoras.

Fonte | Jovem Pan

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *