Desde o último dia 19 a saúde pública de Primavera do Leste está disponibilizando kits de medicamentos para síndromes gripais que possam estar relacionadas com o COVID-19. Conforme os especialistas esses remédios (Ivermectina, Azitromicina, Hidroxicloroquina, loratadina, Nimesulida, Dipirona, Predinisona e exametasona) não previnem o contágio do coronavírus mas podem contribuir para a redução dos danos ou infecções causadas pela doença.

Para conseguir as medicações, primeiro, o cidadão deve estar com algum tipo de sintoma gripal. Nem todos esses oito medicamentos são indicados para qualquer pessoa, depende de cada caso, por isso é preciso passar antes por avaliação médica.

Com o aumento da demanda devido a alta do contágio de COVID-19 na cidade, a Prefeitura ampliou o atendimento. Todos os postos de saúde estão atendendo pacientes com sintomas gripais. Mas não basta comparecer até a unidade mais próxima. É preciso ligar antes e realizar o agendamento.

Após a avaliação médica, caso seja prescrito um dos medicamentos citados acima, o paciente pode procurar as farmácias municipais que estão funcionando nos seguintes horários: Primavera III – das 7h às 11h; São José – das 13h às 17h; Luciana – das 7h às 11h e das 13h às 17h ; e Farmácia Central – das 7h às 11h e das 13h às 17h. Aos sábados e domingos a Farmácia Municipal do Centro também está aberta das 7h às 12h para a distribuição dessas medicações.

Powered by Rock Convert

Conforme a coordenadora da Farmácia Municipal Central, Beatriz Biazi, após o início da distribuição, uma média de 70% a 80% dos atendimentos são para pessoas com COVID-19 ou que estejam em situação de suspeita. O número de atendimento está ultrapassando os 400 por dia. Nos últimos 10 dias já foram distribuídos 3.863 remédios para o tratamento dos efeitos causados pelo coronavírus.

“É uma luta diária para toda a equipe da saúde conseguir manter o estoque. A procura está muito grande e é cada vez mais difícil comprar esses medicamentos em todo o país. Estamos recebendo cargas praticamente todos os dias”, relatou Biazi. Por causa da grande procura, pode acontecer de um remédio ou outro acabar, mas o Poder Público está conseguindo que as reposições sejam feitas rapidamente.

Além das compras realizadas pela Prefeitura, vários empresários ajudaram na aquisição dessa primeira remessa, devido a desburocratização para a venda destinada a iniciativa privada.

“Temos que combater o vírus no primeiro ciclo, nos primeiros sintomas, evitando a evolução para a fase inflamatória. Às vezes pode ter outras medicações complementares, porém, as principais não queremos deixar faltar”, destaca o prefeito Bortolin.

Fonte | Assessoria

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *