Antes de fugir, o acusado ainda disse para a vítima esperar, pois, a acompanharia até em casa no final do expediente.

De acordo com a ocorrência, o tarado entrou na loja, se passando por um cliente e se mostrando interessado em comprar ‘um presente’.

Enquanto era atendido, o acusado agarrou a vítima e passou a mão na região genital dela e fez com que ela encostasse a mão no pênis dele.

Muito assustada, a mulher começou a gritar, conseguiu se desvencilhar do tarado e correu para os fundos do estabelecimento. No entanto, o acusado foi atrás dela e disse que ‘no final do expediente iria acompanhá-la até em casa e que conhecia  os familiares da vítima’. Em seguida o homem foi embora.

A Polícia Militar (PM) foi acionada, escutou o relato da funcionária, que repassou aos policiais a numeração da placa do carro do acusado.

Os militares fizeram a consulta da placa pelo Centro Integrado de Operações  de Segurança Pública (Ciosp) e foi verificado o nome e endereço do tarado.

Os policiais se deslocaram ao endereço, onde a guarnição foi recebida pelo próprio acusado, que se entregou prontamente e não resistiu à prisão.

A mãe do acusado relatou à PM que o filho tinha quadro de esquizofrenia.

Diante dos fatos, a ocorrência foi registrada por crime de importunação sexual e encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, onde o acusado foi entregue, ouvido pelo delegado e mantido preso aguardando os procedimentos legais cabíveis ao caso.

Fonte | RMT

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *