Demissão ocorre com menos de um mês no cargo. Coletiva de imprensa será marcada para esta tarde pelo ministério

O ministro da Saúde, Nelson Teich, informou, por meio de nota, que pediu exoneração nesta sexta-feira (15). Ele assumiu há menos de um mês, em 17 de abril, após a demissão de Luiz Henrique Mandetta. 

O ministro esteve no Palácio do Planalto para conversar com Jair Bolsonaro às 11h. De acordo com fontes, o secretário executivo da pasta, general Eduardo Pazuello, foi convidado para substituir Teich. Ele assume interinamente.

 O ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra também é cotado a substituir Teich, a depender da resposta de Pazuello ao convite.

Teich foi convocado nesta manhã para reunião e foi exonerado a pedido por discordâncias com o presidente.

Políticos e autoridades usaram as redes sociais para comentar a saída de Teich. A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) não citou Teich especificamente, mas disse no Twitter que o Brasil tem pressa e citou a mudança de protocolo em relação ao uso da cloroquina. Felipe Santa Cruz, presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), afirmou que, com método e paciência, “Bolsonaro vai destruindo o Brasil e semeando a morte e o descrédito”,

Leia abaixo a nota divulgada pelo Ministério da Saúde:

NOTA À IMPRENSA

O ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu exoneração nesta manhã. Uma coletiva de imprensa será marcada nesta tarde.

Fonte | R7

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *