Um morador de João Pessoa tem usado uma varinha de madeira para manter a distância em filas de agências bancárias, em João Pessoa. O pedagogo João Batista usa um pedaço de madeira com 2 metros de comprimento. Além disso, antes de sair de casa, João garante que segue o protocolo de proteção com álcool gel e máscara facial.

“Eu tava na fila e o cidadão tava falando quase em cima de mim, quase me agarrando. Eu digo: meu nobre, vá pra lá, se afaste aí. A gente tem que manter a distância porque não tá escrito na testa de ninguém quem tá com esse vírus, porque ele é invisível”, relata João.

Além disso, o paraibano colocou um outro pedaço de madeira na ‘varinha’, resultando em uma cruz. Se a distância não é respeitada, ele apela para a fé.

“Eu mostro a cruz, Jesus te ama, porque eu não sei se tu tá com vírus e eu também não sei se tô”, conta João.

Pedagogo recorre a pedaço de madeira para manter distância em filas, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução
Pedagogo recorre a pedaço de madeira para manter distância em filas, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

João conta que sai de casa só quando é essencial, e até prefere pagar as contas com juros do que enfrentar filas com muita gente e correr o risco de ser infectado pela Covid-19.

“Se todo mundo tivesse o bom senso, e o respeito a outrem, ao seu semelhante, essa curva já teria ido embora”, afirma João.

Fonte | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *