Investigações na Polícia Civil e no Ministério Público Estadual são feitas em sigilo. A criança foi levada para um abrigo, onde deve permanecer até que o caso seja esclarecido.

A unidade da Associação de Pais e Amigos dos Expecionais (Apae) de Nova Mutum, a 269 km de Cuiabá, denunciou ao Conselho Tutelar suposto abuso de uma menina de 10 anos, que possui deficiência e frequenta a instituição.

Após a denúncia ao Conselho Tutelar, o caso que teria ocorrido em 12 de junho deste ano está sendo investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual (MPE).

De acordo com informações da assessoria jurídica da Apae, as monitoras perceberam ferimentos nos órgãos genitais da criança no momento em que trocavam a fralda dela.

No mesmo dia em que o caso foi denunciado ao Conselho Tutelar, a criança foi levada para um abrigo e, desde então, está sob a guarda da Justiça.

Ainda de acordo com o advogado da Apae, Thiago Borda, a família também foi comunicada da decisão, no mesmo dia.

De acordo com a Polícia Civil, um inquérito policial foi aberto e o caso está sendo investigado, porém, está sob sigilo, pois envolve uma menor de idade.

A polícia ainda não identificou onde, quando e quem teria cometido o suposto abuso.

Enquanto isso, a menina está no abrigo sob a tutela da Justiça até que o caso seja esclarecido.

Na época em que o suposto abuso veio à tona, a família ficou revoltada com a decisão da Justiça em retirar a criança da convivência familiar.

Em solidariedade à família, na semana em que teria ocorrido o crime, várias pessoas participaram de uma passeata na cidade, reivindicando o direito da mãe em ver a filha.

Segundo o advogado, as visitas já foram liberadas, porém, são acompanhadas por assistentes sociais.

Fonte | G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *