Procuradora-geral contestou candidatura de Lula menos de uma hora depois de pedido de registro ser encaminhado ao ministro Luís Roberto Barroso

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, evitou nesta quinta-feira, 16, rebater as críticas do advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira à rapidez com que o Ministério Público Eleitoral (MPE) decidiu contestar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto.

Na manhã desta quinta-feira, logo após a sessão plenária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Casagrande Pereira disse que não tinha visto a PGR ser “tão rápida até hoje”.

“O que eu tinha pra falar, já falei no processo. Eu continuo falando no processo”, disse Raquel Dodge a jornalistas, ao chegar para a sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta quinta-feira.

Impugnação. Menos de uma hora depois de o pedido de registro de Lula ser definido por sorteio e encaminhado na última quarta-feira (15) ao ministro Luís Roberto Barroso, Raquel Dodge apresentou uma impugnação à candidatura do ex-presidente.

Para Casagrande Pereira, “a gente não tinha visto a Procuradoria ser tão rápida até hoje”. “Mas o advogado nunca pode reclamar contra a celeridade do Judiciário, a gente só acha que, quem sabe se houvesse essa rapidez em todos os casos, o estoque de processos do Brasil estaria zerado”, disse Casagrande Pereira.

Indagada se o estoque de processos do Brasil estaria zerado caso a PGR fosse mais célere nos trabalhos, Raquel Dodge encerrou a conversa: “Obrigada, viu, gente?”.

Fonte | Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *