Empresa que vencer licitação poderá administrar o complexo por 10 anos. Licitação para concessão da administração será realizada no dia 28 de maio.

Fechado desde 2010 por irregularidades ambientais, o Complexo Turístico da Salgadeira, localizado às margens da Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), em Cuiabá, deverá ser concedido à iniciativa privada.

A licitação, na modalidade concorrência pública, está marcada para o dia 28 de maio e a empresa vencedora terá o direito de explorar o local por 10 anos, contrato que poderá ser prorrogado pelo mesmo período, mediante requerimento da empresa e análise do governo.

O aviso de lançamento do edital de licitação foi publicado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) no Diário Oficial do Estado que circulou na terça-feira (24).

Conforme o edital, que pode ser conferido no site da Sedec, a empresa vencedora poderá explorar o estacionamento e as áreas comerciais internas e externas da Salgadeira.

O governo estima que o valor mínimo da concessão será d eR$ 9,6 mil, o que totalizará R$ 115,8 mil em um ano, segundo estudo feito pela MT Participações e Projetos (MT PAR), agência de regulação do estado.

Restaurantes e lojas de souvenirs foram construídos (Foto: TVCA/ Reprodução)

Restaurantes e lojas de souvenirs foram construídos (Foto: TVCA/ Reprodução)

Participação

Segundo o edital, as empresas interessadas devem cumprir uma série de exigências, entre elas: documentações e apresentação de plano de trabalho e ramo de atividade pertinente ou compatível ao objeto licitado.

As empresas podem ser sociedades empresariais brasileiras ou estrangeiras. Microempreendedores individuais também poderão se habilitar, assim como cooperativas, empresas de pequeno porte e consórcios também estão aptos a concorrer.

Os interessados poderão contar com uma visita técnica, caso agendada com a Sedec ou a sede da Secretaria Adjunta de Turismo com antecedência mínima de dois dias antes da abertura do certame.

Liberação de local para banhistas ainda não foi definida pelo governo do estado (Foto: Rafaella Zanol/Secid-MT)

Liberação de local para banhistas ainda não foi definida pelo governo do estado (Foto: Rafaella Zanol/Secid-MT)

Inauguração adiada

Orçada inicialmente em R$ 6 milhões, a obra de revitalização do Complexo da Salgadeira teve custo final de R$ 12 milhões e foi interrompida várias vezes por falhas no projeto e problemas contratuais, entre outros motivos.

Iniciada em 2010, a obra deveria ter ficado pronta para a Copa do Mundo de 2014 e teve a inauguração adiada por pelo menos três vezes ao longo dos últimos dois meses.

O complexo, que é um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso, está fechado há quase oito anos, após serem encontradas inúmeras irregularidades ambientais, como o risco de acidentes com banhistas por possíveis desabamentos da encosta da cachoeira e resíduos a céu aberto.

Quando for inaugurada, a entrada dos visitantes na Salgadeira deverá ser gratuita, segundo o governo.

A obra

Quatro mirantes foram instalados, além de lojas de souveniers e restaurantes. O estacionamento foi ampliado.

Nos mirantes, os visitantes podem contemplar a vista das montanhas de Chapada dos Guimarçaes. O estacionamento tem capacidade para 100 carros e seis ônibus.

Para não prejudicar o meio ambiente, foi construída uma trillha suspensa com 560 metros, que tem luzes de LED movidas à energia solar.

Faz parte do projeto, ainda, uma passarela metálica ligando os dois lados do complexo, passando sobre a MT-251.

Por enquanto, o local é proibido para banho, mas o governo e o Ministério Público Estadual estariam realizando estudos para garantir o uso do local como balneário, de forma controlada.

Fonte | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta